Direito no Egito: uma análise da formação do direito no Egito antigo e sua comparação com os dias atuais

Rodrigo Alves Cordeiro sabe o que é importante. Sabe ele que conhecer a história é de vital importância e, assim, dedica especial atenção no seu estudo. A ausência de conhecimento do passado implica em um dos piores problemas, no meu entendimento, da humanidade, pois aquele que não tem conhecimento do seu passado comete os meus erros, deixa de evoluir e deixa de, às vezes, absorver importantes conhecimentos adquiridos ao longo do tempo. O autor sabe da importância da história, sabe tanto que dedicou bastante tempo em sua pesquisa que dá origem ao presente livro; está ele, portanto, de parabéns.
Inicia o autor o estudo da pré-dinastia, vida cotidiana dos egípcios e sua evolução, a unificação do Egito, a importância do rio Nilo para a formação da sociedade. Continua o autor escrevendo sobre a divisão da sociedade egípcia e sua evolução histórica e a reestruturação do poder faraônico e os direitos individuais e sociais. Faz o autor ainda importante comparação com a estrutura egípcia e os dias atuais (direitos humanos e assuntos afins).
O assunto merece do leitor uma leitura apurada, com importância que o assunto merece. Trata-se de importante período mundial, da qual o autor fez importante pesquisa para traçar uma linha de pesquisa comparando ao mundo contemporâneo.
Sou suspeito para afirmar aqui meu amor pelo tema, explico: como apaixonado por leitura, uns dos meus livros preferidos é Ramsés,  escrito por Christian Jacq, uma série de livros organizados em 5 volumes e que retratam, com caracteres biográficos e fictícias, a vida do Faraó Ramsés II, além dos costumes de vida dos egípcios desta época (recomendo a leitura). A Editora Thoth, da qual faço parte, recebe em seu nome o significado do Deus Thoth, que é o deus da escrita e da sabedoria; os egípcios acreditavam que Thoth tinha criado, inclusive, os Hieróglifos. O assunto tratado pelo autor é, no meu entendimento, apaixonante e, portanto, merece toda atenção. Surpreendente o livro de Rodrigo é então publicado pela Editora Thoth.
Já afirmei em outra apresentação que o ato de escrever é solitário, que o escritor escreve para si, escrever para os outros, escrever para ser lido, principalmente para ser criticado; escreve para imortalizar pequenas palavras e então, escrevendo, procura aos poucos se imortalizar. Rodrigo cumpre então essa missão do escritor.
Agradeço a oportunidade de realizar a singela apresentação do livro DIREITO NO EGITO. Uma análise da formação do Direito no Egito Antigo e sua comparação com os dias atuais. Produz o autor com a elaboração do livro importante material para pesquisa. De parabéns o autor por toda dedicação e também de parabéns a Editora Thoth pela obra.

Londrina, agosto de 2018.
Bruno Fuga

R$ 45.00

Detalhes do Livro

Peso 0.350 kg
Dimensões 21 x 1 x 15 cm
Páginas

152

Editora

Editora Thoth

idioma

Português

Publicado em

Setembro/2018

ISBN

978-85-94116-27-7

Livro

Impresso

Sobre os Autores

Rodrigo Alves Cordeiro

Rodrigo Alves Cordeiro

Atualmente residindo em Campo Grande-MS, onde milita nas áreas do Direito Tributário e Direito do Trabalho, é Bacharel em Direito pelo Centro Universitário Filadélfia - UniFil , possui extensões qualificativas em Direito Processual do Trabalho, Direito Previdenciário e Direito Tributário pelo Instituto Tributário de Ensino a Distância, integrou a Comissão de Igualdade Racial e Minorias da OAB Seccional Paraná - Subseção Londrina e nos dias atuais, além das atividades profissionais, desenvolve trabalho assistencial na comunidade carente do Bairro Nova Lima - Campo Grande - MS.

Rodrigo Alves Cordeiro sabe o que é importante. Sabe ele que conhecer a história é de vital importância e, assim, dedica especial atenção no seu estudo. A ausência de conhecimento do passado implica em um dos piores problemas, no meu entendimento, da humanidade, pois aquele que não tem conhecimento do seu passado comete os meus erros, deixa de evoluir e deixa de, às vezes, absorver importantes conhecimentos adquiridos ao longo do tempo. O autor sabe da importância da história, sabe tanto que dedicou bastante tempo em sua pesquisa que dá origem ao presente livro; está ele, portanto, de parabéns.
Inicia o autor o estudo da pré-dinastia, vida cotidiana dos egípcios e sua evolução, a unificação do Egito, a importância do rio Nilo para a formação da sociedade. Continua o autor escrevendo sobre a divisão da sociedade egípcia e sua evolução histórica e a reestruturação do poder faraônico e os direitos individuais e sociais. Faz o autor ainda importante comparação com a estrutura egípcia e os dias atuais (direitos humanos e assuntos afins).
O assunto merece do leitor uma leitura apurada, com importância que o assunto merece. Trata-se de importante período mundial, da qual o autor fez importante pesquisa para traçar uma linha de pesquisa comparando ao mundo contemporâneo.
Sou suspeito para afirmar aqui meu amor pelo tema, explico: como apaixonado por leitura, uns dos meus livros preferidos é Ramsés,  escrito por Christian Jacq, uma série de livros organizados em 5 volumes e que retratam, com caracteres biográficos e fictícias, a vida do Faraó Ramsés II, além dos costumes de vida dos egípcios desta época (recomendo a leitura). A Editora Thoth, da qual faço parte, recebe em seu nome o significado do Deus Thoth, que é o deus da escrita e da sabedoria; os egípcios acreditavam que Thoth tinha criado, inclusive, os Hieróglifos. O assunto tratado pelo autor é, no meu entendimento, apaixonante e, portanto, merece toda atenção. Surpreendente o livro de Rodrigo é então publicado pela Editora Thoth.
Já afirmei em outra apresentação que o ato de escrever é solitário, que o escritor escreve para si, escrever para os outros, escrever para ser lido, principalmente para ser criticado; escreve para imortalizar pequenas palavras e então, escrevendo, procura aos poucos se imortalizar. Rodrigo cumpre então essa missão do escritor.
Agradeço a oportunidade de realizar a singela apresentação do livro DIREITO NO EGITO. Uma análise da formação do Direito no Egito Antigo e sua comparação com os dias atuais. Produz o autor com a elaboração do livro importante material para pesquisa. De parabéns o autor por toda dedicação e também de parabéns a Editora Thoth pela obra.

Londrina, agosto de 2018.
Bruno Fuga

SUMÁRIO

AGRADECIMENTOS
APRESENTAÇÃO
PREFÁCIO
INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO DIREITO NO EGITO PRÉDINÁSTICO E ANTIGO
1 O meio ambiente nilótico como propulsor do surgimento da civilização egípcia
2 A Unificação Do Egito
3 A influência do Nilo na formação da religião no Egito e seus efeitos políticos e jurídicos

CAPÍTULO 2
A DIVISÃO DA SOCIEDADE EGÍPCIA
1 Classe sacerdotal: uma real ameaça ao estado faraônico
2 Vizir: o grande chanceler do poder estatal faraônico
4 Exército
5 Artesão e escultores
6 Escravos
7 Camponeses

CAPÍTULO 3
O ENCERRAMENTO DO PERÍODO ANTIGO E A INSTABILIDADE DOS PERÍODOS POSTERIORES NO QUE DIZ RESPEITO A ORDEM ADMINISTRATIVA, SOCIAL E JURÍDICA
1 O desfacelamento ao surgimento dos direitos individuais
2 A reunificação temporária no médio império e o restabelecimento dos direitos
3 Segundo período intermediário: dominação HICSA

CAPÍTULO 4
À REESTRUTURAÇÃO DO PODER FARAÔNICO: RESSURGEM OS DIREITOS INDIVIDUAIS E SOCIAIS. UM NOVO TEMPO SOB A ÉGIDE DAS REGRAS DA DEUSA MAAT
1 Um novo período de instabilidade: a fase monoteísta do Egíto antigo
2 A contrarreforma egípcia: a restituição do culto politeista e a reestruturação da moralidade administrativa
3 A derrocada do Egito faraônico
4 A dominação greco-macedônica no egito e os derradeiros momentos de uma civilização milenar

CAPÍTULO 5
UMA ANÁLISE ACERCA DO DIREITO NO EGITO ANTIGO E SUA COMPARAÇÃO COM OS DIAS ATUAIS, BEM COMO AS SIMILITUDES ENTRE ALGUNS ASPÉCTOS DO SISTEMA JUDICIÁRIO-PROCESSUAL EGÍPCIO E O SISTEMA JUDICIÁRIO E PROCESSUAL BRASILEIRO
1 Egito antigo e os direitos humanos
2 A mulher no Egito antigo: igualdade de gênero, família e proteção jurídica
3 Aspectos de direito civil contratual
4 Sistema judicial e suas similitudes com o sistema atual

CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS